Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Voo da Garça

Sonhos, desejos, opiniões, instantes da vida diária...

O Voo da Garça

Sonhos, desejos, opiniões, instantes da vida diária...

19
Jan22

Quem denunciou Anne Frank?

Charneca em flor

1200px-Anne_Frank_lacht_naar_de_schoolfotograaf_(c

Anne Frank foi uma jovem alemã de origem judaica. A família da jovem mudou-se para Amsterdão numa tentativa de escapar às perseguições perpetradas pelo regime nazi aos judeus. No entanto, os Países Baixos foram também invadidos pelos alemães em 1940 estendendo a perseguição a este país. Em 1942, a família de Anne Frank acaba por se esconder numas pequenas divisões secretas que existiam no edifício da empresa de Otto Frank, pai da jovem.

Durante cerca de 2 anos, e ajudados por antigos funcionários da empresa de Otto Frank, sobreviveram num espaço exíguo. A família de Anne Frank era constituída pelos pais, Otto e Edith, e pelas jovens Margot e Anne. Posteriormente juntaram-se a eles mais uma família de 4 pessoas, seus amigos, bem como um dentista, amigo de ambas as famílias. Os funcionários que os ajudaram foram verdadeiros heróis porque arriscavam ser presos e executados por auxiliarem judeus o que era considerado um crime muito grave.

Apesar de se terem avançado com várias hipóteses ao longo dos anos, nunca se soube de onde partiu a denúncia que levou a Gestapo a descobrir o anexo secreto, em 1944. Até agora. Uma investigação liderada por um ex-agente do FBI avança com a hipótese de o denunciante ter sido um notário judeu colaboracionista. Tudo indica que este homem o fez para salvar a sua própria família entregando à Gestapo uma lista de endereços onde, supostamente, se escondiam judeus e essa lista incluía o edifício onde se encontrava o anexo secreto. Esta investigação deu origem a um livro, "The Betrayal of Anne Frank", da canadiana Rosemary Sullivan.

anne-frank-house.jpg

Casa-Museu Anne Frank

A Casa-Museu Anne Frank já se pronunciou sobre a investigação considerando-a fascinante mas afirmando que serão necessárias mais investigações.

Há vários anos tive o privilégio de visitar a Casa-Museu Anne Frank e essa experiência marcou-me profundamente. Na loja do Museu comprei "O Diário de Anne Frank" que li já adulta como descrevo aqui.

Não vejo grande necessidade, ou mesmo sentido, nesta investigação. Qual é o interesse de se saber quem foi o denunciante passados 77 anos sobre a morte desta jovem tão especial? Para percebermos a natureza humana e entendermos o que leva alguém a ser denunciante e contribuir para o sofrimento alheio? A única vantagem desta notícia é divulgar uma vez mais a figura de Anne Frank e o seu diário. Mais jovens, ou mesmo adultos, deveriam ler "O Diário de Anne Frank". Seria preciso ter um coração de pedra para ficar indiferente àquele relato enternecedor. A lição que se pode tirar da história da vida de Anne Frank é que não faz qualquer sentido perseguir alguém seja por que motivo fôr. Infelizmente, esta lição ainda está longe de ser apreendida de forma universal.

Fonte deste post aqui.

Nota: Anne Frank, a sua mãe e a sua irmã morreram num campo de concentração. O pai, Otto Frank, foi separado da família indo para um campo de concentração diferente sendo o único sobrevivente. No final da Guerra voltou a Amsterdão onde procurou informações sobre a família. Depois de se saber que todas haviam perecido, uma das pessoas que os tinha ajudado entregou-lhe o diário que encontrara no anexo depois de terem sido presos. Otto Frank dedicou a sua vida à divulgação do diário e à criação da Fundação Anne Frank bem como da Casa-Museu Anne Frank de modo a perpetuar o legado impressionante da sua filha.

 

14
Jan22

Telenovela da pré-campanha

Charneca em flor

O início do mês de Janeiro marcou o início da pré-campanha eleitoral para as eleições legislativas antecipadas. O ponto forte tem sido os debates, ou como eu prefiro, os speed dates tal é a rapidez. 

Na semana passada ainda vi alguns mas esta semana não tenho tido oportunidade uma vez que chego tarde a casa. Tenho seguido estes episódios através das referências que fazem nas notícias e nos comentários que pululam pelas redes sociais.

Do que me têm sido dado observar, os debates parecem episódios de telenovelas. Há intriga, há drama, há discussão, há cenas de ciúmes sobre quem aprovou ou não aprovou propostas legais no parlamento, houve divórcios que provocaram as eleições antecipadas. Em suma, a política portuguesa parece um mau argumento de novela. 

Ontem, tivemos direito a um episódio especial, mais longo, o debate entre António Costa do PS e Rui Rio do PSD. Não me posso pronunciar pelo debate porque não o vi na totalidade mas vou só elencar algumas interrogações:

- Rui Rio quer resolver o problema da falta de médico de família para todos os portugueses mas acha que há funcionários públicos a mais. Em princípio, os médicos serão funcionários públicos portanto é provável um novo aumento dos funcionários públicos para resolver este problema.

- Não há ninguém que diga ao António Costa que não se diz "Há 6 anos atrás"?

- Porque é que os moderadores não têm um relógio a mostrar o seu tempo? É que alguns falam tanto ou mais tempo do que os candidatos.

- Enganaram-se no tom do corrector de olheiras do João Adelino Faria, não enganaram? É que ele estava com um  olhar muito estranho.

- Se nenhum dos dois quer acordos com o Chega! e se o André Ventura não estava presente, porque é que falaram no nome dele?

- Alguém decide o seu sentido de voto depois de ver um debate?

- Os partidos políticos são patrocinados pela Navigator?! É o que parece pela quantidade de papel que gastam em fotocópias.

Veremos o que nos reservam as cenas dos próximos capítulos e esperemos que esta novela tenha só uma temporada.

10
Jan22

Do Natal à Páscoa

Charneca em flor

Este fim de semana desmanchei a árvore de Natal da casa da aldeia. Este presentinho, enviado pela Fátima Bento com o seu postal de Natal, estava lá pendurado:

IMG_20220109_152518~2.jpg

Quando recebi uma sombrinha de chocolate, lembrei-me de uma história de família que me contaram em criança. Eu sempre fui muito gulosa e chocolate é uma das minhas perdições. Se há coisa a que eu nunca resisti foi a chocolates de natal. A minha mãe incomodava-se muito com esta minha característica e aproveitava para me contar uma história da sua infância. 

A minha mãe nasceu numa família humilde, nos anos 50, no Alentejo. A aldeia onde nasceu já não existe porque desapareceu para se construir uma barragem por isso os seus pais foram viver para outra zona do Alentejo. O meu avô passou grande parte da sua vida como guarda florestal num monte alentejano, propriedade de um latifundiário. Nessa época, as guloseimas não abundavam nem tão pouco os brinquedos. Num certo Natal, a minha mãe, ainda criança, recebeu uma sombrinha de chocolate o que, para ela, era um tesouro. Tão feliz ficou que guardou a guloseima desde o Natal até à Páscoa ao invés, como eu faria, de a comer assim que a teve nas mãos.  

A minha sorridente sombrinha de Natal também é uma preciosidade uma vez que veio de uma querida amiga virtual por isso decidi desafiar-me a mim própria. Vou seguir o poupado exemplo da minha mãe e guardar este chocolatinho até Páscoa. Veremos se sou capaz.

 

09
Jan22

Foto da semana 2/52

2022

Charneca em flor

O último dia em que trabalhei, no ano de 2021, foi a véspera de Natal. Por esses dias, recebemos uma simpática caixa de Natal de uma das marcas de dermocosmética que comercializamos, a Filorga. Como eu fui de férias, uma das minhas colegas, a mais maternal de todas, não deixou ninguém mexer na caixa sem eu voltar. Entre várias coisas deliciosas e interessantes que lá vinham, estava esta caixinha de bombons

IMG_20220109_094220.jpg

Esta imagem foi a que teve mais  no Instagram. São tão giros, não são? E saborosos. Estes chocolates vieram do Funchal, da empresa UAUCACAU, que produz chocolates artesanais com sabores típicos da ilha da Madeira mas também de outras paragens mais tropicais.

Bom domingo.

 

06
Jan22

Mais eleições em pandemia

Charneca em flor

Como sabem, os portugueses serão chamados às urnas no fim do mês. A esta distância consigo prever que a eterna vencedora abstenção irá bater todos os recordes.

Por um lado, o desencanto com a política abrange uma parte significativa da população.

Por outro lado, os debates em modelo "speed dating", como já li em qualquer lado, são tudo menos esclarecedores. Para os comentadores, o vencedor é, sempre, o que grita mais como num reality show.

E, por último, prevê-se um elevado número de pessoas isoladas devido à Covid-19 que poderão estar impedidas de exercer o seu direito de voto. O voto no domicílio só pode ser solicitado até dia 23, 1 semana antes das eleições, o que não faz sentido porque o isolamento foi reduzido para 7 dias, na maioria das situações. Os constitucionalistas defendem que as pessoas em quarentena se deveriam poder dirigir às mesas de voto mediante certas condições. Se forem reunidas as condições de segurança, isso não me choca. Veremos que condições serão criadas. O que eu temo é que esta possibilidade leve a que as outras pessoas, que não estejam em isolamento, tenham receio de ir votar por se sentirem em risco de contágio. A minha mãe seria uma dessas pessoas. Parece que já a estou a ouvir, "Nem penses que eu vou votar."

Por tudo isto, temo que a constituição da próxima Assembleia da República, e consequentemente o próximo governo, seja escolhida por meia dúzia de pessoas.

Aguardam-se as cenas dos próximos capítulos.

01
Jan22

Última semana de "Sorrisos de Natal"

Charneca em flor

O tempo de Natal só termina no Dia de Reis mas o desafio "Sorrisos de Natal" encerrou-se ontem com o final do mês de Dezembro. Aqui fica o meu contributo:

20220101_091908_0000.png

Foi um prazer e uma alegria participar mais uma vez no desafio da Maria. Este ano consegui só recorrer a uma fotografia anterior ao mês de Dezembro. Todas as outras foram captadas propositadamente para este desafio. 

Obrigada, Maria, por te teres lembrado de mim para esta aventura fotográfica.

31
Dez21

No ano que agora acaba

Charneca em flor

O meu ano de 2021 fica marcado pelo meu isolamento, logo no mês de Janeiro, devido a ter tido Covid-19. Nunca pensei que me acontecesse a mim e não faço ideia de como tenha sido contaminada. Felizmente, tive sintomas leves. O sintoma mais forte foi a tosse mas só nos primeiros dias. Senti-me culpa por ter contaminado o meu companheiro e fiquei muito assustada porque estive doente quando nos entravam, pela casa dentro, imagens de filas de ambulâncias à porta dos hospitais. Tive medo que um de nós piorasse e não conseguisse acesso ao hospital.

Em termos laborais, vivi momentos de stress elevado, principalmente nas últimas semanas, quer devido à elevada procura de testes Covid-19 quer por alguns problemas de saúde na equipa que provocaram algumas ausências. Mas, no fim, lá conseguimos levar o barco a bom porto.

O ano foi fértil em leituras, li 38 livros ao longo do ano, e também fui participando nalguns desafios de escrita criativa como podem ver aqui ao lado. A esse respeito, participei na aventura organizada pelo José da Xã e da Imsilva com o objectivo de editar uma compilação dos contos de Natal publicados anteriormente nos blogues.

IMG_20211226_201113_617.webp

Em 2021 fiz inúmeras caminhadas embora só ao fim-de-semana ou nalgum feriado. Felizmente, tenho oportunidade de caminhar pelo campo. Mesmo que seja em locais onde já tenha ido, a natureza é sempre nova.

20210207_123050.jpg

IMG_20210401_150138.jpg

IMG_20210228_151434.jpg

 

A paixão pelas plantas manteve-se e fui aumentando o número de plantas que tenho. Infelizmente, nem todas sobrevivem mas quando as vejo crescer, fico muito feliz.

Não fiz nenhum viagem mas tive oportunidade, quer no Verão quer agora nesta última semana do ano, de passar alguns dias numa acolhedora casinha situada numa pequena aldeia perdida no Algarve profundo. É um local muito sossegado onde só se ouvem passarinhos, galinhas, ovelhas a balir e um ou outro cão a ladrar. Por aqui as caminhadas também são uma constante e descobrem-se recantos bem bonitos.

IMG_20210822_214001.jpg

IMG_20210819_093451.jpg

IMG_20210817_143826.jpg

IMG_20210817_074815.jpg

IMG_20211229_162912.jpg

IMG_20211227_084329.jpg

Em 2021, tive a oportunidade de assistir ao casamento de uma jovem que me é muito querida. A cerimónia e a festa decorreu num convento em Évora, o Convento do Espinheiro, no qual funciona um hotel, um espaço muito bonito. Foi um fim-de-semana muito bem passado

IMG_20210724_150457.jpg

IMG_20210725_103502.jpg

IMG_20210725_101425.jpg

Em suma, 2021 não foi um ano de acontecimentos grandiosos mas foi um ano de grandes momentos. 2022 não precisa de ser melhor ao ano que acaba. Se fôr igual a 2021, já me dou por muito feliz.

Bom Ano Novo para todos.

 

 

 

 

26
Dez21

Foto da Semana 52/52

Charneca em flor

Na semana do Natal fazia sentido que a imagem com mais  fosse uma imagem natalícia como esta

IMG_20211219_132353_798.webp

Gosto muito de presépios e achei este muito amoroso. Encontrei-o numa montra de Caldas da Rainha. Adorei o pormenor da Maria adormecida enquanto José cuida de Jesus.

No entanto, como é Natal, a foto da semana apresenta-se em dose dupla trazendo mais um presépio, desta feita o presépio da minha terra 

IMG_20211225_182215.jpg

 

Bom domingo.

Mais sobre mim

foto do autor

Links

Vale a pena espreitar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D

Blogs de Portugal

Em destaque no SAPO Blogs
pub