Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Voo da Garça

Sonhos, desejos, opiniões, instantes da vida diária...

O Voo da Garça

Sonhos, desejos, opiniões, instantes da vida diária...

08
Mar17

Dia da Mulher. Porquê?

Charneca em flor

Hoje assinala-se o Dia Internacional da Mulher. Todos os anos penso:"continua a ser necessário assinalar o Dia da Mulher? Infelizmente, sim." Continua e continuará a ser necessário defender os direitos das mulheres. Enquanto as mulheres ganharem menos que os homens para efectuar o mesmo trabalho que os homens; enquanto morrerem mulheres, vítimas de violência doméstica; enquanto a progressão na carreira seja prejudicada pela dedicação à família; enquanto o trabalho doméstico seja maioritariamente desempenhado pelas mulheres; enquanto houver mutilação genital por pseudo-tradições; enquanto houver menos mulheres em cargos de chefia ou na vida política continuará a ser essencial assinalar esta data. Para que haja mais mulheres como esta deputada espanhola (e menos bestas políticos como este polaco)

 

 

Feliz Dia da Mulher

 

10
Jan17

Quem é o maior?!

Charneca em flor

Ontem o Sapo teve a simpatia de destacar o meu post sobre o falecido Daniel Serrão entre os posts alusivos a Mário Soares.

Screenshot_2017-01-09-23-20-13-1.png

Para além de agradecer à equipa do Sapo, gostaria de reflectir sobre os comentários que desencadeou. O destaque de blogs da página principal do Sapo faz com que o que escrevemos chegue a pessoas que, nornalmente, não seguem blogs. Quando começo a receber comentários de desconhecidos, vejo logo que "O voo da garça" aterrou por ali. Por coincidências da vida, calhou Daniel Serrão e Mário Soares morrerem no mesmo fim-de-semana. Então não é que os comentadores desataram a comparar a importância destas duas personalidades?! Para mim as pessoas não se podem comparar seja de que maneira for. No caso destas duas figuras portuguesas, cada um teve um papel muito importante na construção da nossa sociedade. Cada um à sua maneira, cada um no seu espaço e nas suas circunstâncias. Nenhum é maior que outro, são pessoas diferentes. Admirar um não é impedimento para admirar o outro. Paz às suas almas.

04
Set16

Bermas ou ciclovias

Charneca em flor

images-1.bin

 

Eu compreendo que o piso da EN 10 entre Porto Alto e Vila Franca de Xira está muito melhor desde as obras de requalificação. As bermas deixaram de ser as armadilhas que eram antes mas não deixaram de ser bermas. Não são ciclovias. As bermas podem servir, por exemplo, para nos desviarmos para deixar passar uma ambulância ou para nos desviarmos dos doidos que ultrapassam como se estivessem numa corrida de Fórmula 1. Não é para fazer ciclismo em grupo numa das vias mais movimentadas e fatídicas da região. Um dia ainda acontece um acidente grave. Depois não digam que eu não avisei. Sempre às ordens.

14
Fev16

Dia dos namorados, sim ou não?!

Charneca em flor

A idade tem a vantagem de nos dar a maturidade necessária para aprendermos a relativizar os acontecimentos da vida. Tempos houve em que o Dia de São Valentim era sinónimo de uma grande neura porque não tinha namorado para comemorar este dia. Não fui namoradeira na minha adolescência. Nessa altura dava uma grande importância ao Dia dos Namorados. Mais tarde, com o que me foi acontecendo, cheguei a comemorá-lo com pompa e circunstância recebendo flores e comprando peluches ridículos. E até fui jantar com uma amiga numa espécie de Não ao Dia de São Valentim já que na altura estavamos, as duas, solteiras. Hoje, aos 41, já não dou grande importância a esta comemoração anglo-saxónica e marcadamente comercial. Com o namorido já temos ido jantar fora mas já não me importo se a data passar em branco. As relações têm que se alimentar todos os dias e não só nos dias marcados. É mais giro quando ele me apanha flores silvestres ou idealiza um piquenique perto da praia como aconteceu há umas semanas  do que levar-me a jantar a um sítio qualquer cheios de casais e com os preços inflacionados por ser Dia de São Valentim. 

Hoje até está um dia muito bom para ficar em casa, abraçadinhos e debaixo de uma manta. Com uma bebida quente...

Seja como for, estajam sozinhas(os) ou acompanhadas(os), comemorem ou não este Dia de São Valentim, tenham um óptimo domingo e sejam felizes.

27
Jan16

Governo italiano censura estátuas atrevidas

Charneca em flor

Ridículo e inadmissível! São as palavras que me ocorreram quando vi as notícias sobre a visita do Presidente do Irão a Roma. Então parece que, por "respeito" ao Presidente do Irão, as estátuas de nus dos Museus Capitolinos foram tapadas. Esta submissão do Ocidente à cultura árabe incomoda-me. Quer dizer nós é que temos que respeitar a cultura de quem nos visita?! Não deveria ser o contrário?! Será que ele respeita a cultura ocidental? Se as estátuas o ofendiam, ele que não olhasse para elas, ora essa. Para além disso, também não foram servidas bebidas alcoolicas nos jantares oficiais. Qual é que era o problema de servirem bebidas alcoolicas? Ninguém o obrigava a beber. 

Quanto a mim, quem é visita é que deve respeitar os hábitos daqueles a quem visita. Por exemplo, se eu for convidada para jantar em casa de alguém que não tenha o hábito de comer sopa, tenho que respeitar isso por muito que seja importante para mim comer sopa. Ou vou telefonar antes para dizer que só vou lá jantar se houver sopa?! Claro que não.

Eu já visitei um país árabe, embora dos mais moderados, Marrocos (pelo menos na altura) e tentei respeitar a cultura desse país, dentro da medida do possível. Não andei lá de calções nem de grandes decotes. Nem entrei pelas mesquitas adentro, logicamente. A mim ofendeu-me ver as mulheres árabes de burqa mas tinha de as respeitar. Será que se o Primeiro-Ministro italiano visitasse o Irão iria exigir que as mulheres vestissem roupa ocidental? Havia de ser bonito.

É claro que não é de desprezar o facto de o Senhor Presidente ter ido a Itália fazer negócios no valor de 17 mil milhões de euros. O dinheiro, sempre o dinheiro.

22
Jan16

O post que não consegui fazer

Charneca em flor

 

Ontem à noite, quando me preparava para fazer um post, fui confrontada com uma avaria do meu "querido" tablet. O infeliz recusa-se a trabalhar. Quando ligo o botão, o boneco do Android abana-se, abana-se e nada de se ligar. Ele lá foi para o hospital dos tablets para ver se ressuscita e o post que eu pensava fazer ficou sem sentido. Era sobre a campanha eleitoral e os seus "casos" mas tendo em conta que faltam pouco mais de 2 horas para começar o período de reflexão, fica o dito pelo não dito. 

Aproveito, apenas, para dizer que, por mais rídicula que tenha sido esta campanha eleitoral, vão votar. Votem em consciência e quem acham que pode fazer um melhor trabalho. Independentemente da vossa inclinação ser mais à direita, à esquerda ou ao centro, votem. Vamos ver as eleições presidenciais pela positiva, pior que a representação dos últimos 10 anos é impossível.

 

Bom dia de reflexão.

13
Set15

Política a nu

Charneca em flor

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Quando Joana Amaral Dias surgiu, grávida e nua, pela primeira vez, até gostei. A imagem é artisticamente bela, a Joana Amaral Dias é uma grávida bonita e, se foi convidada e ganhou dinheiro com isto, não me parece nada mal. Cada um faz com o seu corpo aquilo que quer já que, felizmente, estamos num país livre. A atitude dela granjeou-lhe umas quantas críticas, vindas do seu quadrante político e até do próprio movimento a que ela pertence. Agora aparecer nua noutra publicação já me parece demais. Quanto a mim, em vez de divulgar a coligação Agir, está a distrair com as pessoas. De certeza que poucos sabem quais as ideias que o Agir defende mas já todos conhecemos os contornos do umbigo da senhora.  E podemos questionar-nos sobre para que publicação é que ela se vai despir na próxima semana.

23
Mai15

São só 4 meses

Charneca em flor

Na minha profissão, a formação académica só fica completa com o estágio em ambiente de trabalho. Já fui estagiária há cerca de 16 anos e correu tão bem que fiquei a trabalhar no local onde o estágio decorreu. E lá fiquei até hoje...

Uma das características que agradou à minha orientadora de estágio foi a minha humildade. Quando saimos da faculdade estamos cheios de conhecimento teórico mas muito pouco conhecimento prático. E sabemos tão pouco da vida. Naqueles 4 meses o meu lema diário foi aprender, aprender, aprender e a seguir aprender mais ainda.

Esta introdução serve para falar da estagiária que está lá no estaminé há 3 semanas. Vai lá ficar até Agosto e já está a correr tão mal. A miúda é inteligente, bem preparada, tem um grande conhecimento da área mas é tão pouco humilde. Tem tanta mania que não se pode aturar. Do meu ponto de vista, não se pode chegar a uma equipa já formada há alguns anos, com hábitos enraizados, insinuar que as tarefas não se executam da melhor maneira (o que até nem é mentira) e querer mudar a maneira de trabalhar.

Nem quero pensar que ainda falta tanto tempo para ela ir embora. O que vale é eu sou uma pessoa muito paciente. Não se pode dizer o mesmo da maioria das minhas colegas.

20
Abr15

Lisboa está (mesmo) na moda

Charneca em flor

Hoje tive que ir ao centro de Lisboa para uma reunião. O local da reunião era na zona do Chiado. Normalmente utilizo os transportes públicos para ir a Lisboa porque é mais prático e vou mais descansada do que conduzindo o meu carro. No entanto, como hoje ia a meio do dia e a um edifício que tem estacionamento garantido, optei pelo automóvel. E arrependi-me tanto...  

Eu sei que Portugal precisa de turistas, que o turismo é uma das nossas mais importantes áreas económicas mas é preciso virem todos ao mesmo tempo? Fui obrigada a dar razão a esta crónica do Bruno Nogueira e do João Quadros, Tubo de Ensaio, na TSF. Lisboa foi, literalmente, invadida pelos turistas. Para todo o lado que se olhasse era ver grupos com guias, com mapas abertos e de máquinas fotográficas em punho. No meu percurso tinha que passar por uma rua de trânsito controlado e muito estreita e nessa rua lá estavam eles a interromper o trânsito para captar um qualquer recanto da nossa capital. Depois de estacionar o carro, tinha menos de 1 hora para tentar almoçar. Eu a andar apressadamente e os turistas a passear, naturalmente, ocupando os passeios. Enfim, parecia uma corrida de obstáculos. Agora já entendo as atitudes que se observa nos habitantes dos lugares turísticos que, muitas vezes, não olham com bons olhos para estas ondas de turistas. Vi isso quando estive, há uns anos, em Ponta Delgada e, segundo sei, os algarvios também não gostam muito das alterações ao seu dia-a-dia provocadas pelos turistas.

Concluindo, isto de Lisboa estar na moda é uma coisa muito bonita excepto para quem por lá trabalha ou vive. A não ser para quem vive do turismo...

 

Nota: A imagem não é minha porque não tive tempo. É daqui

Mais sobre mim

foto do autor

Links

Vale a pena espreitar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D

Blogs de Portugal

Em destaque no SAPO Blogs
pub