Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Voo da Garça

Sonhos, desejos, opiniões, instantes da vida diária...

O Voo da Garça

Sonhos, desejos, opiniões, instantes da vida diária...

21
Jul19

Incêndios voltam ao centro do país

Charneca em flor

É muito triste voltar a ver imagens de incêndios na zona centro do país. Gosto muito daquela zona e, infelizmente, a zona centro tem sido muito fustigada por este flagelo. Já fui várias vezes àquela região e fico muito triste com as imagens que nos chegam através da comunicação social. Aliás, por estes dias, faz 2 anos que estive nos concelhos de Mação, Vila de Rei e Proença-a-Nova. Quando voltava do fim-de-semana que lá passei, depois de ter estado na Praia Fluvial de Fernandaires (Ferreira do Zêzere), "vi" o início do tal fogo que afectou Mação em 2017.

DSC08067.JPG

Incêndio em Julho de 2017. Começou no concelho da Sertã e avançou até ao concelho de Mação 

Continuo a ter que perguntar "Como é possível que estes incêndios continuem a acontecer e a progredir com tanta rapidez?!" Até quando é que vamos continuar a ver o que temos de melhor a arder? Quantos mais portugueses terão que sofrer com estas situações? Quantos mais terão que perder o que construiram com esforço?

E para quando penas pesadas para os incendiários?

De ano para ano, fazem-se estudos, relatórios e promessas mas parece que continuamos a não aprender nada com o passado.

10
Jul19

Fui para fora... cá dentro

Charneca em flor

Desde há 5 anos que festejo o meu aniversário com uma viagem em modo "vá para fora cá dentro". Foi assim que descobri a zona de centro de Portugal, essa zona tristemente conhecida pela tragédia do incêndio de 17 de Junho de 2017 e pelas suspeitas de corrupção na reconstrução das casas destruídas. No fim-de-semana que passou voltei a essa zona. Desta feita passei pelo concelho de Proença-a-Nova, por Oleiros e acabei a almoçar na aldeia de Mosteiro, concelho de Pedrógão Grande. Como já disse aqui e aqui, a verdadeira solidariedade para com estas populações é visitá-las, passar lá bons momentos, em suma, fazer circular a economia.

As temperaturas não estavam convidativas a um mergulho nas frias frescas águas das praias fluviais mas vimos bonitas paisagens e descansámos. Infelizmente os sinais dos incêndios ainda são visíveis mas ainda há encostas de um  verde impossível de reproduzir. 

No sábado estivemos na Praia Fluvial da Fróia e na Praia Fluvial do Alvito da Beira, ambas no Concelho de Proença-a-Nova. Almoçamos em Oleiros e depois fomos até ao Alojamento Turístico de São Torcato Moradal.  Como o nome indica, localiza-se na aldeia de São Torcato na Serra do Moradal, concelho de Oleiros.

Depois de descansámos um pouco e aproveitámos a piscina. Não sei de onde vinha mas a zona da piscina tinha um agradável aroma a fruta madura.

CollageMaker_20190709_235315796.jpg

No domingo, depois de um agradável pequeno-almoço, de um passeio pela aldeia de São Torcato e depois de conversarmos com a actual proprietária do alojamento, fomos à procura da Cascata da Fraga da Água d' Alta. Foi uma aventura porque a cascata não está muito bem assinalada. Tem uma placa na estrada mas depois não tem mais indicações. Chega-se a 2 caminhos possíveis, um para a direita e outro para a esquerda. Escolhemos, precisamente, o caminho errado e foi um sarilho para a encontrar. Mas valeu a pena

CollageMaker_20190710_000419552.jpg

Estava a chegar a hora de regressarmos à realidade. Ainda era preciso almoçar. Eu gostava de ter ido almoçar ao Restaurante Lago Verde na Barragem do Cabril, em Pedrógão Grande. Quando chegámos, estava a abarrotar o que foi uma grande desilusão .  Acabámos por voltar a uma aldeia onde já tínhamos ido em 2014, Mosteiro e comemos um belo cozido à portuguesa muito bem regado. O dia estava cinzento e o cozido à portuguesa soube mesmo bem. É claro que tivemos que ir "dormir a sesta" para a Praia Fluvial de Mosteiro. Afinal não há mal nenhum em voltar a um sítio onde já fomos felizes...

CollageMaker_20190710_001712836.jpg

 

 

 

 

 

27
Jul17

Doí a alma

Charneca em flor

mw-320.jpg

 

As imagens dos fogos são incontornáveis. Não dá para fugir delas já que estão por todo o lado. Todos os anos estas imagens se repetem e me impressionam e emocionam. Pobres pessoas que perdem tudo o que construíram ao longo da vida. Algumas perdem mesmo a vida. Este ano tem doído mais do que nunca. Para além da tragédia do mês passado, os fogos desta semana tocam-me de maneira especial. Foi por poucas horas que não tive contacto directo com este inferno. Custa muito perceber que as paisagens verdejantes e maravilhosas, que conheci há poucos dias, estão completamente destruídas, pintadas de negro e cinza. Será mesmo inevitável ver o país a arder todos os anos?!

Ao que parece a situação já começa a ficar controlada. Espero mesmo que assim seja.

25
Jul17

Voltei ao centro de Portugal

Charneca em flor

De há uns anos para cá, começou a ser tradição fazer um passeio no mês de Julho para comemorar o meu aniversário. O "vai para fora cá dentro" deste ano foi no passado fim-de-semana. Como disse aqui, fui até ao centro do país. Andei pelos concelhos de Mação, Vila de Rei e Proença-a-Nova. Foi muito agradável, conheci mais umas praias fluviais e vi paisagens florestais magníficas. Infelizmente, estas paisagens podem já nem existir. O centro do país está a ser fustigado pelo fogo, outra vez. Mas vamos recordar os bons momentos. As pessoas que sofrem com os incêndios merecem que se mostre o lado bonito daqueles concelhos e não apenas as imagens dos fogos, não é verdade?!

Acho fantástico o trabalho que as autarquias fazem no sentido de criar as condições mais adequadas para que os locais ou os visitantes possam usufruir das praias fluviais. É uma experiência muito diferente das praias de mar. A maioria das praias por onde passei têm nadadores-salvadores e bons apoios para passar um excelente dia em segurança.

O local onde ficámos alojados era um quinta no meio do nada. Só se ouviam as cigarras... ou o cão. À noite foi possível ver um magnífico céu estrelado que não conseguimos ver no meio das cidades. O lugar ideal para descansar a cabeça. Chama-se Quinta do Eco mas o único eco que se ouve é o eco do silêncio. A quinta pertence a um simpático casal belga que vive em Portugal há mais de 15 anos.

Aqui ficam algumas imagens

CollageMaker_20170724_232457511.jpg

1 - Praia Fluvial do Carvoeiro, Mação 

2 - Praia Fluvial de Cardigos, Mação 

3 - Praia Fluvial de Bostelim, Vila de Rei

4 - Praia Fluvial de Aldeia Ruiva, Proença-a-Nova 

5 - Praia Fluvial do Malhadal, Proença-a-Nova

6 - Praia Fluvial de Fernandaires, Vila de Rei

7 - Amanhecer na Quinta do Eco

8 - Simpática mascote da Quinta do Eco

9 - Saindo da Praia Fluvial de Fernandaires

 

 

23
Jun17

Uma desgraça nunca vem só

Charneca em flor

d6d2a0381bccf79f7e89023e01f588ea.jpg

 

Depois de uma tragédia há que enterrar os mortos e cuidar dos vivos. Na lamentável tragédia do centro do país ainda não se conseguiram enterrar os mortos mas também não se está a cuidar muito bem dos vivos. Como se não bastasse já o que as pessoas sofreram. As polémicas vão  surgindo entre os partidos políticos sobre o apuramento das responsabilidades. O governo cria um fundo, para o qual conta com os donativos dos portugueses, mas não abrange todos os concelhos afectados limitando o acesso a esse fundo aos 3 primeiros concelhos atingidos, Pedrogão Grande, Castanheira de Pêra e Figueiró dos Vinhos. Claro que os autarcas dos outros concelhos já vieram reclamar a sua fatia. 

Para juntar a isto tudo, surgem alertas de falsos técnicos da Segurança Social que andam pelas aldeias a aproveitarem-se dos idosos com logros e assaltos, roubos nas casas vazias das aldeias evacuadas e falsas contas solidárias. Há sempre engenho mesmo na desgraça.

Para não falar dos operadores turísticos, restauração e comerciantes da região que já se vêem com cancelamentos de reservas já que os potenciais turistas vão evitar visitar a região. Manter os planis de visita a estes concelhos também é uma boa forma de os ajudar.

É mesmo caso para dizer uma desgraça nunca vem só.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Blogs de Portugal