Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Voo da Garça

Sonhos, desejos, opiniões, instantes da vida diária...

O Voo da Garça

Sonhos, desejos, opiniões, instantes da vida diária...

18
Fev16

Desespero, morte, vidas interrompidas

Charneca em flor

Publico_Porto-20160217.jpg

 

No início desta semana, aconteceu mais uma tragédia envolvendo crianças. Ao que tudo indica, uma mulher ter-se-á atirado ao rio com as 2 filhas. A mulher acabou por sair da água em desespero gritando que as filhas estavam na água. A mais nova foi retirada da água e foi sujeita a manobras de reanimação mas sem sucesso. No momento em que escrevo este post, ainda não tinha sido encontrado o corpo da mais velhinha. 

Ao longo da semana foram-se percebendo mais pormenores. A família já estava sinalizada na CPCJ (Comissão de Protecção de Crianças e Jovens) e havia um processo de investigação, desde Novembro, por suspeita de violência doméstica e abuso sexual por parte do pai das crianças.

Estas situações de crianças sinalizadas pela CPCJ e que acabam em desgraça já são recorrentes. Os processos são demorados e, muitas vezes, não se resolvem em tempo útil. A comunicação social, e consequentemente, a opinião pública culpa a inoperância do Estado por estes acontecimentos. E, na verdade, fica sempre a suspeita de que as autoridades não fizeram tudo o que podiam ter feito por estas crianças. E um Estado que não consegue defender os mais indefesos é um Estado com problemas de funcionamento. No entanto, toda a sociedade pode ser responsabilizada. Será que os restantes familiares, os amigos, as pessoas que rodeavam esta família fizeram tudo o que podiam?! Quantas vezes é que nós viramos a cara para o lado para fazer de conta que não vemos situações de violência doméstica?! Passamos os dias a olhar para o nosso umbigo e não vemos o que se passa à nossa volta. Não olhamos os outros nos olhos. Será que ninguém percebeu que esta mulher estava desesperada e perturbada? Esta mulher não encontrou ajuda quando a procurou ao fazer queixa do ex-companheiro e isso levou ao desespero. Só uma mãe muito perturbada e sem soluções é que comete um acto destes, caminhar para a morte e levar as pobres crianças com ela. Ela sobreviveu mas, imagino, que nestes últimos dias ela desejou, mais do que nunca, morrer.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Blogs de Portugal