Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Voo da Garça

Sonhos, desejos, opiniões, instantes da vida diária...

O Voo da Garça

Sonhos, desejos, opiniões, instantes da vida diária...

05
Set17

Grande argolada

Charneca em flor

Ontem meti o pé na argola, forte e feio. Fiquei mesmo incomodada com o sucedido. Espero que ninguém se ofenda com o que eu vou contar porque foi mesmo, mesmo sem intenção. Vou tentar explicar. Eu gabo-me de ser uma pessoa tolerante e respeitadora do direito que as pessoas têm de ser diferentes seja no que diz respeito a convicções políticas, religiosas, clubistícas ou orientação sexual. No entanto, uso, frequentemente, uma palavra que pode ser considerada ofensiva que é "mariquices" em frases como "deixa-te de mariquices" ou "não precisa de ter essas mariquices todas". Estão a ver o que quero dizer? 

Então ontem estava a comprar algum material para enfeitar o meu travel book. Quem me estava a atender era um rapaz que eu sei (com uma certeza de 99%) que é homossexual. Então não é que eu digo para o rapaz "não precisa de ter essas mariquices". Ele ficou calado durante uns segundos e eu, quando caí em mim, fiquei para morrer. Fiz-me de parva e continuei a falar. Mas fiquei tão aflita. Daqui para a frente vou fazer o propósito de não usar essa expressão. Nem que tenha que morder a língua.

Agora venha de lá a pancada virtual porque eu mereço. 

24
Abr16

Irritações

Charneca em flor

Há um programa na SIC Radical que se chama Irritações. É um programa em que os participantes falam do que os irritou na última semana. Hoje também me deu vontade de falar do que me tem irritado.Assim como hoje é domingo, de um fim-de-semana prolongado, se disser algo que possa escandalizar alguém, ninguém dá por isso e eu posso desabafar à vontade. 

Primeira situação: A empresa onde trabalho foi vítima de um espécie de "cyberbulling" no Facebook. Um grupo de pessoas com mobilidade reduzida considerou que a empresa não cumpria a legislação no que diz respeito à acessibilidade. Então o que é que fizeram? Dirigiram-se ao responsável e chamaram a atenção para o problema? Não, nem pensar. Publicaram no Facebook, com fotografias e com comentários extremamente desagradáveis gerando, como seria de esperar, comentários ainda mais desagradáveis. Talvez até tivessem razão mas publicar no Facebook e apelar ao vandalismo não me parece a melhor solução. O que parece é que estas pessoas, que tem todo o direito de defender os seus direitos, já não sabem resolver os problemas de outro modo, sem armarem escarcéu nas redes sociais.

prioridade.jpg

 

Segunda situação: Aconteceu-me no supermercado. Estava na fila para pagar e nem tinha reparado que estava na caixa de prioridade. Chega uma jovem acompanhada com uma criança de uns 2 anos e uma bebé no "ovo" de transporte. E com o marido. Eu desvio-me e digo-lhe para avançar. Até aqui tudo normal. O que eu não acho normal é que a pessoa nem se tenha dignado a agradecer. Por mais que seja um direito dela em passar à frente e um dever meu facilitar, não custa nada ser cordial e agradecer. Para além disso, também acho discutível que se ceda a prioridade quando há 1 criança e 2 ou 3 adultos com a criança. Obviamente que se uma mãe ou um pai vai ao supermercado sozinho com os filhos pequenos é mais do que legítimo que use a prioridade. Agora a utilização destas caixas quando não estão sozinhos... não poderia ficar 1 deles com as crianças no carro enquanto o outro pagava?! É que já não é a primeira vez que me acontece ceder a prioridade por causa das crianças e depois aparecer a família toda para passar à frente. Parece-me um claro aproveitamento daquilo que é um direito. Mães, pais e avós deste país organizem-se melhor nas idas ao supermercado e não prejudiquem a vida dos outros quando tal não seja estritamente necessário, Por favor.

 

E agora, que já incomodei as pessoas de mobilidade reduzida e os pais de crianças de colo, vou-me deitar. Bom fim-de-semana.

01
Out15

Trabalhar (só) com mulheres

Charneca em flor

Eu digo, muitas vezes, que sou muito feliz no meu trabalho. E é verdade na maior parte dos dias. Hoje não me senti assim muito feliz. Trabalhar com pessoas e para as pessoa é exigente e esgotante. Trabalhar numa equipa pequena constituída apenas por mulheres é um grande desafio. Tão depressa somos as melhores amigas do mundo e no minuto seguinte andamos às turras. Há dias em que parece que há uma bomba de hormonas prestes a rebentar. Nós, mulheres, somos muito pouco lineares. A nossa cabeça é mesmo um emaranhado novelo de razão e emoção. E até se podia achar que só uma mulher poderia compreender outra mulher mas, afinal, isso quase nunca acontece. E quando os valores não são os mesmos e quando o sentido de responsabilidade não é o mesmo, o choque é mesmo inevitável. Hoje foi um dia terrível e eu constatei que nem todas as pessoas estão na minha profissão com a mesma entrega e a mesma dedicação que eu. As pessoas não podem ser todas iguais, é verdade, mas o egocentrismo é um grande defeito especialmente quando vem de onde menos se espera. É válido que alguém realize os seus sonhos às custas do trabalho dos outros?!

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Blogs de Portugal