Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Voo da Garça

Sonhos, desejos, opiniões, instantes da vida diária...

O Voo da Garça

Sonhos, desejos, opiniões, instantes da vida diária...

16
Abr19

Notre-Dame do Mundo

Charneca em flor

a74834fe-1be6-4156-891a-d8421a9abf4b-large16x9_AP1

A incredulidade dominou a França, a Europa e o Mundo. Como é possível que um monumento que sempre esteve ali (demorou quase 2 séculos a ser terminada) possa ter sido quase completamente destruído em poucas horas? Resistiu durante quase 900 anos à passagem do tempo, a duas guerras mundiais, a múltiplos conflitos mas não resistiu a cerca de 10 horas de fogo ainda sem explicação. Não é só Paris que fica mais pobre, é toda a humanidade que perde um dos seus maiores tesouros.

O edifício está intimamente ligado à História. Ali aconteceram a coroação de Henrique VI de Inglaterra durante a Guerra dos 100 anos e a coroação de Napoleão Bonaparte. Foi também ali que Joana d' Arc foi beatificada em 1909.

A Catedral de Notre Dame é um dos maiores símbolos de Paris. Serviu de inspiração a Victor Hugo para o romance "O corcunda de Notre-Dame". Foi para chamar a atenção para a degradação da Catedral que Victor Hugo criou as personagens do corcunda Quasimodo e da cigana Esmeralda. O movimento da opinião pública que se formou após a publicação do romance levou a que fosse aprovada o restauro do edifício. Isto aconteceu no século XIX. O romance do escritor francês foi adaptado inúmeras vezes para o cinema e até pela Disney tornando este monumento, jóia do gótico, amplamente conhecido.

O Presidente Macron prometeu que o edifício será reconstruído. A partir de hoje será organizada uma subscrição nacional e internacional com a intenção de recolher fundos para a reconstrução.

Eu fiquei muito chocada e muito triste com estas imagens. Quando fui a França, há um ano, não tive oportunidade de conhecer a Catedral por dentro porque estive poucas horas em Paris e a fila para entrar era enorme. Agora já não será possível vê-la porque a Catedral nunca será a mesma.

DSC08927.JPG

 

26
Jul18

Tragédia Grega

Charneca em flor

No ano passado, depois do dia 17 de Junho pensava-se que toda aquela tragédia era uma situação pontual e que era impossível repetir-se. Doce engano. Afinal, aconteceu outra vez. A 15 de Outubro, fomos surpreendidos por mais um dia negro. Negro, pelo fumo, pelas cinzas, pelos mortos e pelo coração dos que sobreviveram. Mas pensámos, novamente, que não era possível ver imagens daquelas novamente. Portugal tinha aprendido a lição e tudo seria diferente. As imagens correram a Europa e o Mundo. Falou-se muito do combate aos incêndios quer a nível nacional quer a nível europeu. Era urgente melhorar o Mecanismo Europeu de Protecção Civil. Teríamos que aprender a lidar com estas situações. Pois...

Infelizmente, a televisão voltou a trazer-nos imagens de destruição, de dor e de morte. Desta vez não foi em Portugal mas sim noutro país do sul da Europa, na Grécia. Era impossível não nos lembrarmos do que se passou por cá mas, desta vez, a situação ainda me pareceu mais dramática. A destruição é indescritível. Os mortos já são mais de 80 mas ainda podem aumentar já que há 100 desaparecidos. As pessoas ficaram encurraladas entre um mar de chamas e o mar Egeu. Fugiram para a praia e, os que conseguiram, mantiveram-se dentro de água várias horas. Pelo que se sabe, ou se suspeita, alguns morreram afogados. Como em Portugal se morreu numa estrada enquanto se fugia do fogo.

Começo a acreditar nos cientistas que dizem que estes fenómenos se iriam repetir. Será que tem alguma coisa a ver com o tal aquecimento global que alguns teiman em dizer que não existe?!

Um dia, o sol vai voltar a brilhar na Grécia

mati_google2_resultado-741x486_c.jpg

 

rafina_shutterstock_1061997650_resultado-741x486_c

 

kineta_shutterstock_1009890223_resultado-741x486_c

 

23
Jun17

Uma desgraça nunca vem só

Charneca em flor

d6d2a0381bccf79f7e89023e01f588ea.jpg

 

Depois de uma tragédia há que enterrar os mortos e cuidar dos vivos. Na lamentável tragédia do centro do país ainda não se conseguiram enterrar os mortos mas também não se está a cuidar muito bem dos vivos. Como se não bastasse já o que as pessoas sofreram. As polémicas vão  surgindo entre os partidos políticos sobre o apuramento das responsabilidades. O governo cria um fundo, para o qual conta com os donativos dos portugueses, mas não abrange todos os concelhos afectados limitando o acesso a esse fundo aos 3 primeiros concelhos atingidos, Pedrogão Grande, Castanheira de Pêra e Figueiró dos Vinhos. Claro que os autarcas dos outros concelhos já vieram reclamar a sua fatia. 

Para juntar a isto tudo, surgem alertas de falsos técnicos da Segurança Social que andam pelas aldeias a aproveitarem-se dos idosos com logros e assaltos, roubos nas casas vazias das aldeias evacuadas e falsas contas solidárias. Há sempre engenho mesmo na desgraça.

Para não falar dos operadores turísticos, restauração e comerciantes da região que já se vêem com cancelamentos de reservas já que os potenciais turistas vão evitar visitar a região. Manter os planis de visita a estes concelhos também é uma boa forma de os ajudar.

É mesmo caso para dizer uma desgraça nunca vem só.

21
Jun17

Quando, Sr. Presidente?

Charneca em flor

O incêndio do centro do país continua a dar que falar, infelizmente. É um tema incontornável. As pessoas, quer os que viveram aquele inferno quer os que assistem à distância, interrogam-se. Como é possível que num país da UE, tão "avançado" tecnologicamente, portanto num país do 1° mundo (será?) morram 64 pessoas devido a um incêndio florestal? Em Portugal há cerca de 20 milhões de telemóveis e em que 3 em cada 4 portugueses estão permanentemente ligados à internet e não se consegues ter um sistema de comunicações de emergência e segurança a funcionar adequadamente? Todos os anos somos flagelados com incêndios graves. É preciso morrerem 64 pessoas para que se faça qualquer coisa? Não culpemos apenas este governo, esta ministra ou os seus secretários de Estado. Todos os governos dos últimos 40 anos, todos os deputados de todas as legislaturas têm a sua quota de culpa. Todos nós, que não soubemos exigir uma política de florestas adequada, temos a nossa quota de culpa. 

Desde sábado que os meios de comunicação social descobriram uma série de especialistas das florestas e dos fogos. Aonde estiveram estes anos todos? Falaram e ninguém os ouviu?! Ou limitaram-se a investigar o assunto cientificamente?! De todos os lados aparece uma opinião e se apontam culpados. 

Encontrar responsáveis pela tragédia não dará vida aos que pereceram mas pelo menos as famílias sentirão que a culpa não morrerá solteira como acontece quase sempre.

fogos-800x450.jpg

 

É triste ver como se criticam os bombeiros. Acredito que eles fazem o que podem com os meios que têm. São voluntários  e não é pela mísera compensação económica que recebem que arriscam a vida. É por altruismo. Só o altruismo é que explica como eles correm para os incêndios, como os combatem até não poder mais. Durante o resto do ano ninguém se lemgra que eles existem. Quanto do que os criticam colaboram de alguma forma para as corporações de bombeiros? Quantos são associados dos bombeiros? Em vez de criticarem ou de os exultarem com imagens nas redes sociais, passem pelo quartel mais próximo e preencham uma proposta de sócio. O valor das quotas não é assim tão alto. Bebe-se menos 2 cafés por mês e consegue-se. É pouco mas do pouco se faz muito.

Uma palavra aos jornalistas. O vosso trabalho é louvável e permite-nos perceber o que se passa. Mas não exagerem. Vão para casa descansar porque senão só fazem asneira.

18
Jun17

Tragédia maior em Pedrogão Grande

Charneca em flor

I

ha-19-mortos-e-varios-desaparecidos-no-fogo-de-ped

 

Este fim-de-semana ficará tristemente marcado na nossa memória. Todos os anos, Portugal enfrenta o flagelo dos fogos florestais. No ano passado até a Madeira foi atingida. Com estas temperaturas elevadas, era expectável que voltassemos a ter um problema grave mas nunca imaginei uma desgraça como a que vemos hoje. Ontem quando me deitei não me apercebi da dimensão.A última notícia que ouvi já dava conta de 39 mortos e 59 feridos e, infelizmente, não deve ficar por aqui. pessoas que morreram em casa porque não conseguiram fugir ou nos carros a tentar escapar. Nem consigo imaginar o horror de se perceber que se vai morrer carbonizado. 

Nunca tinha havido tão grande tragédia com incêndios nos últimos 50 anos.

Tenho tanta pena que um sítio tão bonito como Pedrogão Grande, onde comemorei os meus 40 anos, fique marcado por este acontecimento.

Que os bombeiros possam continuar a ter forças e ânimo para continuarem a combater estes e outros fogos que alastram pelo país. E que os que perderam alguém nesta desgraça possam encontrar consolo na sua dor.

 

Actualização às 8h47m: 43 mortos

Nova actualização: 58 mortos. Qual será a real dimensão desta tragédia?!

Actualização 13h07m: 62 mortos (61 porque uma das vítimas foi contabilizada 2 vezes)

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Blogs de Portugal