Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Voo da Garça

Sonhos, desejos, opiniões, instantes da vida diária...

O Voo da Garça

Sonhos, desejos, opiniões, instantes da vida diária...

12
Mar21

Nova Conselheira de Estado

Charneca em flor

Depois de tomar posse no passado dia 9, o Presidente da República reconduziu 4 dos Conselheiros de Estadodos cinco que a ele cabe nomear. Um dos lugares encontrava-se vago desde o falecimento do intelectual/filósofo Eduardo Lourenço. Para o ocupar, o Presidente escolheu a escritora Lídia Jorge. 

lidia-jorge-ha-uma-futebolizacao-da-cultura-2.jpeg

Imagem daqui

Considero uma excelente escolha mas continua a haver pouca representatividade da sociedade uma vez que só há 3 mulheres no Conselho de Estado. Para além da recém-nomeada, têm assento neste Conselho, a Provedora da Justiça, por inerência, e Leonor Beleza, também por nomeação do Presidente da República.

O Conselho de Ministro é o "Órgão consultivo de parecer obrigatório mas não vinculativo sobre algumas decisões do Presidente da República". Ou seja, as 19 pessoas que constituem o Conselho de Estado têm como função aconselhar o Presidente nalgumas das decisões que ele tem que tomar. A ideia é fornecer visões diversificadas sobre um determinado assunto. Sendo assim, como já disse, há um deficit de representatividade não só por as mulheres serem, apenas, 3 mas também porque seria interessante consultar várias gerações. Ora não há Conselheiros de idades mais jovens. O Conselheiro mais novo é o Presidente da Região Autónoma dos Açores, José Manuel Boieiro, que tem 55 anos e o mais velho é o antigo Presidente da República, General Ramalho Eanes.

Seja como fôr, é de louvar ter sido escolhida uma mulher, não só pelo seu género, mas também pelo seu talento literário mas também pelas suas qualidades intelectuais e pela sua intervenção cívica na sociedade sempre com o seu ar doce e sereno. Que seja uma excelente adição ao Conselho de Estado.

25
Jan21

Inacreditável mas previsível

Charneca em flor

Ontem só me consegui deitar quando já faltavam poucos concelhos para apurar. Estive à espera para ter a certeza que Ana Gomes ultrapassava André Ventura o que, de facto, aconteceu. No entanto, o 3o lugar daquele candidato não me deixa nada sossegada. Não consigo acreditar que quase 500 mil portugueses votaram em André Ventura. Dói-me verificar que, quer no concelho onde trabalho quer no concelho em que vivo, o candidato de extrema-direita ficou em 2o lugar. Como é que é possível que as pessoas não consigam ver o risco que se está a correr?! Eu percebo que as pessoas se sintam insatisfeitas com o estado do país, da Europa e do Mundo. Foi em épocas assim que estas teorias avançaram, no passado. Mas têm mesmo a certeza que querem viver num país comandado pelos princípios do Chega?

Larguem as redes sociais e leiam livros de história, procurem informação em fontes fidedignas, percebam o mundo onde vivem e como é que chegámos a este ponto. E percebam quais são os meios de comunicação social verdadeiramente independentes porque a Comunicação Social também deve assumir a sua quota-parte de responsabilidade no surgimento deste tipo de forças. Ponham a mão na consciência e descubram qual é o caminho que querem trilhar.

05
Jan21

Há cultura de esquerda e de direita?!

Charneca em flor

Nunca tinha acompanhado o programa de talento vocal da RTP1, The Voice Portugal. Por vezes via alguns momentos durante a hora de almoço porque tenho colegas que costumavam assistir.

No passado domingo terminou a última edição e eu vi quase todos os programas. O vencedor, Luís Trigacheiro, chamou-me logo a atenção na Prova Cega quando cantou, com emoção, a música "As Mondadeiras". Ao longo das semanas, foi sempre um dos meus favoritos embora reconheça que ficaram pelo caminho excelentes vozes. Como é óbvio, fiquei muito contente pelo jovem alentejano ter vencido.

image001.jpg

Luís Trigacheiro e Marisa Liz, a sua mentora

 

Logicamente, não se pode agradar a toda a gente e o sistema de escolher o vencedor por votação telefónica pode ser injusto. É possível que ganhe o concorrente mais popular, ou que consiga mobilizar mais pessoas, e que a melhor voz seja derrotada.

É compreensível que os fãs dos outros concorrentes reajam mal à derrota do seu ídolo. Vi comentários muito desagradáveis nas redes sociais. Mas o que me incomodou mais foi ter lido que Luís Trigacheiro é simpatizante do partido "Chega" e que era inadmissível que um fascista ganhasse a competição.

Não faço ideia de quais são as opiniões políticas deste rapaz mas também não tenho a certeza que isso importe. Não acompanho essa suposta simpatia por tal partido, antes pelo contrário, mas isso em nada influencia o meu gosto musical.

Aqui há tempos também houve um grande alarido porque Samuel Úria ter sido um dos signatários de uma carta aberta da Direita Portuguesa contra o mesmo partido. Nessa altura deu-se mais importância ao facto do músico ser de Direita do que ao conteúdo da carta.

Será que temos que elaborar as nossas preferências culturais consoante a postura política dos agentes culturais? Se um músico, um escritor ou um actor for de direita ou de esquerda, isso determina se tem mais ou menos talento? E isso influencia o nosso gosto pessoal?

Já pensaram sobre isto?!

 

09
Set20

Ana Gomes a Presidente

Charneca em flor

Ana Gomes confirmou, ontem, que será candidata à Presidência da República. O anúncio oficial será amanhã. Há muito que se especulava sobre esta possibilidade.

Ana Gomes licenciou-se em Direito mas no fim da licenciatura enveredou pela carreira diplomática onde permaneceu durante alguns anos. Das funções que desempenhou, destacou-se como consultora presidencial para a diplomacia do Presidente Ramalho Eanes aos 28 anos e embaixadora de Portugal em Jacarta. E foi aí que deu nas vistas. Abraçou a causa timorense e não descansou enquanto não colocou Timor Leste no centro da diplomacia internacional.

Depois de Jacarta, abandonou a carreira diplomática e enveredou pela política. Filiada no PS, é, desde a primeira hora, uma voz incómoda. Chegou ao Parlamento Europeu em 2004 onde continuou a ser uma mulher de causas. Como eurodeputada, participou em missões em locais como a Etiópia, Iraque, Kosovo, Bósnia Herzegovina, Síria ou República Democrática do Congo. Na Etiópia é considerada uma heroína pelo contributo que deu à luta pela liberdade do povo etíope 

Nas últimas eleições para o Parlamento Europeu, já não foi candidata e pediu escusa do Ministério dos Negócios Estrangeiros. Se já antes dizia tudo o que pensava, agora é que ninguém a pára. A principal causa que a move, actualmente, é o combate à corrupção sendo uma das maiores defensoras de Rui Pinto.

Ana Gomes não olha a cores políticas quando escolhe os alvos das suas batalhas e dispara em todas as direcções empenhada na luta pela integridade e pela transparência. 

Com o percurso que precede esta candidatura, Ana Gomes tornará a campanha presidencial muito mais interessante. Os debates serão renhidos. André Ventura já se aproveitou do anúncio da candidatura da Ana Gomes para dar que falar. 

Por muito que eu gostasse de ver uma mulher como presidente, não acredito que seja desta. Embora ainda não o tenha anunciado, Marcelo irá, com toda a certeza, recandidatar-se e tudo indica que será reeleito. Mas nenhuma eleição está ganha à partida. Acredito que Ana Gomes vai travar este combate com toda a sua coragem e resiliência. E se tiver um bom resultado talvez se volte a candidatar daqui a 5 anos. Quem sabe?!

 

 

19
Fev20

Grande oportunidade para estar calado

Charneca em flor

Ontem o Secretário de Estado Adjunto e das Comunicações dizia, no Jornal Expresso e a propósito do Aeroporto do Montijo, esta alarvidade:

"Em relação às questões ambientais, surgem à cabeça as rotas migratórias de milhares pássaros. Face às críticas de “estrénuos protectores das espécies, de matriz radical e insensata”, defende que “os pássaros não são estúpidos e é provável que se adaptem”.

“E este postulado arriscado é tão cientificamente sólido como o seu contrário: o de que eles não vão encontrar outras rotas migratórias, outras paragens estalajadeiras, como no Mouchão. Ciência sem dados comprovados não é ciência”, concretiza."

Digam lá se não foi uma excelente oportunidade para estar calado?

Obviamente que qualquer localização teria impactos ambientais e que um novo aeroporto é essencial para a nossa economia uma vez que o turismo é uma importantíssima fonte de receita. 

Agora será que se escolheu a localização com menor impacto ambiental, com menor impacto nas pessoas ou a localização mais barata?

Pensemos nisso.

28
Nov19

Guerra aberta

Ser Livre não é cada um fazer o que quer.

Charneca em flor

A recente polémica que envolve o partido Livre e a deputada Joacine Katar Moreira deixa-me muito desiludida. Para começo de conversa, devo dizer que não votei no Livre até porque o meu voto de nada adiantaria, voto num distrito onde não se elegem muitos deputados. No entanto, fiquei contente pela chegada do Livre ao Parlamento. Considero que é um partido que pode contribuir para a construção de um país mais justo, inclusivo e solidário. A deputada eleita também me despertou simpatia como ficou aqui explícito. Achei abjectos os ataques de que ela foi alvo no que diz respeito às suas origens e à sua gaguez. A sua história de vida mostra que ela foi uma mulher lutadora que venceu as circunstâncias da vida em que nasceu e cresceu.

No entanto, as suas atitudes recentes já não abonam muito a seu favor. Independentemente de ser negra, mulher e gaga, isso não lhe dá o direito à atitude de sobranceria que tem tido com o Parlamento, com os jornalistas, com o Partido Livre e com os eleitores que a elegeram. Na Assembleia da República ela representa o partido e não só a si própria. Tem que agir, minimamente, de acordo com os princípios defendidos pelo partido a que ela escolheu aderir. Julgava-a mais inteligente do que isto. Começo a achar que talvez gagueje um bocadinho quando pensa, afinal.

Por outro lado, o Livre também não fica bem na fotografia. Nunca deveriam ter começado com a "guerra de comunicados" do passado fim-de-semana.  Srs, a roupa suja lava-se em casa. Não façam do espaço público uma qualquer lavandaria self-service. Resolvam os vossos problemas nos órgãos próprios do partido e talvez seja melhor reverem a vossa maneira de escolher candidatos. Se calhar, não é boa ideia serem assim tão Livres.

Não tenho dúvidas que a chegada do Livre ao Parlamento se deve muito à cabeça de lista que escolheram para Lisboa e à projecção que ela teve durante a campanha eleitoral. Por outro lado, ela não podia chegar ao Parlamento sem ser integrada nas listas de um partido. Ou seja, Joacine serviu-se do Livre e o Livre serviu-se da Joacine. É muito má ideia estarem, agora, a descartarem-se mutuamente.

E por último, uma palavra à comunicação social, menos é mais. Deixem de dar tanta cobertura aquilo que fazem estes pequenos partidos. Eles são importantes para que o nosso país seja verdadeiramente democrático mas não têm tanto poder no nosso futuro como os partidos com maior representação. Esse sim, decidem a nossa vida. 

20
Out19

Espanhol ou catalão?

Charneca em flor

Não sei quem tem razão e até acho que, a acontecer a independência da Catalunha, não será bom para nenhum dos lados (salvaguardando as devidas distâncias é mais ou menos como o Brexit, será mau para o Reino Unido e para a União Europeia). O que eu não acho correcto nem justificável é partir para a violência. As cenas que nos chegam de Barcelona não deviam acontecer. A meu ver, mesmo que os catalães tenham razões válidas para estes protestos, com estas atitudes perdem toda a razão. Fico chocada pelo estado em que estas pessoas estão a deixar uma das mais belas cidades da península ibérica. Até se pode duvidar das verdadeiras intenções destes instigadores. Será que lutam mesmo por uma solução para a questão catalã e pela liberdade dos líderes presos? Ou será que só querem alimentar-se da violência sem fim?

 

10
Out19

Ainda as Legislativas

O que é orienta o sentido de voto?!

Charneca em flor

As eleições do último domingo continuam a dar que falar. A entrada de 3 novos, e pequenos, partidos na Assembleia da República parece ter causado grande surpresa na Comunicação Social. Não sei porquê já que penso que os meios de Comunicação Social contribuiram muito para a eleição de Joacine Katar Moreira (Livre), André Ventura (CHEGA!) e João Cotrim Figueiredo (Iniciativa Liberal). Digo isto na medida em que houve muito mais cobertura televisiva aos pequenos partidos do que era habitual. 

Dizia eu que os meios de Comunicação Social ficou tão surpreendida que, nos últimos dias, até foram descobrir aonde é que estes partidos tinham tido maior percentagem de votos.

Por exemplo, foi no concelho do Alvito, no Alentejo, que o CHEGA! teve maior percentagem de votos e a TVI foi até lá. Entrevistaram várias pessoas mas o que mais me incomodou foi um senhor que disse:

"Votei no Chega! por duas particularidades: uma é porque o André Ventura é do Benfica, essa é a primeira, e a segunda é porque ele é contra os ciganos, e eu ganho uma miséria e os ciganos é um disparate”, sublinhou José Valério, da mesma terra alentejana."

O que me choca não é ele ter votado no CHEGA! por causa dos ciganos, o que me choca é ele ter votado neste partido porque o seu líder é do Benfica.

Mas as preferências clubísticas são lá motivo para se decidir o sentido de voto? Mas está tudo louco? Eu também sou do  mas nunca votaria no André Ventura. Aliás, até me sinto envergonhada por ser do mesmo clube deste personagem .

07
Out19

A manhã seguinte

O novo Parlamento

Charneca em flor

Este será o aspecto da Assembleia da República nos próximos 4 anos

20191007_084901.jpg

O Parlamento está mais colorido, mais diversificado, mais plural. Mesmo que tenhamos que aceitar a entrada de um partido de extrema-direita como o Chega com o deputado André Ventura. É a democracia a actuar. 

Ainda não vi nada sobre isso mas a minha percepção é que haverá mais mulheres no hemiciclo. Não tive tempo de procurar números concretos mas acredito que não devo andar longe da verdade.

Três dos partidos mais tradicionais perderam deputados, o PSD, o CDS e a CDU. Poderá ser sinal de que as pessoas não se revêem nos seus discursos. Talvez fosse melhor renovarem as suas ideias sobre o país.

O PAN saiu reforçado o que pode ser problemático já que é um partido um pouco fundamentalista nalguns aspectos. 

A abstenção continua a ser elevada mas, desta vez, votaram mais eleitores devido à maior facilidade no voto antecipado e no recenseamento automático dos portugueses que vivem no estrangeiro.

Hoje haverá portugueses que não estarão satisfeitos com os resultados e que continuarão a reclamar nas redes sociais. Será que todos esses expressaram a sua opinião através do voto?!

03
Out19

Diogo Freitas do Amaral 1941-2019

Charneca em flor

1570114449913.jpg

Diogo Freitas do Amaral faleceu hoje. Uma figura incontornável da política nacional, Diogo Freitas do Amaral marcou indiscutivelmente a nossa história. Fundou o CDS, foi vice-primeiro-ministro durante o governo AD (coligação PSD/CDS) mas, já neste século, foi Ministro dos Negócios Estrangeiros do PS num dos governos de José Sócrates, embora como independente. Esta sua opção foi muito polémica e mal vista pelo CDS/PP levando a que a sua fotografia fosse retirada da sede do partido no Largo do Caldas. Foi dos primeiros portugueses a ter um alto cargo internacional já que foi Presidente da Assembleia Geral das Nações Unidas nos anos 90.

1570110889496.jpg

Mas, imagino que a maioria dos portugueses com mais de 40/50 anos se lembrarão de que Freitas do Amaral foi um dos protagonistas das Eleições Presidenciais mais renhidas da nossa democracia. Corria o ano de 1986. A direita uniu-se em torno de 1 só candidato, Freitas do Amaral. A esquerda tinha vários candidatos o que fez com que tivesse que haver uma 2a volta. Foi a única vez em que tal aconteceu. A 2a volta disputou-se entre Freitas do Amaral e Mário Soares e a campanha foi épica. Ninguém se poderá esquecer de Freitas do Amaral e a sua inseparável gabardina verde. Tudo indicava que Freitas do Amaral sairia vencedor porque as probabilidades estavam contra Mário Soares. No entanto, a campanha virou a favor do candidato do PS depois da célebre "bofetada", na verdade foi uma paulada, da Marinha Grande. O resultado final foi de 48,8% para Freitas do Amaral e 51,2% para Mário Soares.

Sejamos, ou não, apreciadores das ideias de Freitas do Amaral, que até foram evoluindo ao longo dos anos, temos que reconhecer o seu papel na construção da nossa democracia. Nos últimos anos provou que a verdadeira liberdade é pensarmos pela nossa própria cabeça, sem rótulos que nos "arrumem" num determinado lugar e sem receio das consequências que possam advir do nosso sentido crítico. 

Os políticos actuais têm muito a aprender com a história de vida destes políticos como Freitas do Amaral, Mário Soares, Sá Carneiro ou Álvaro Cunhal. Será que os políticos actuais teriam a mesma capacidade de lutar pelos seus ideiais como estes exemplos?

Mais sobre mim

foto do autor

Links

Vale a pena espreitar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D

Blogs de Portugal

Em destaque no SAPO Blogs
pub