Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Voo da Garça

Sonhos, desejos, opiniões, instantes da vida diária...

O Voo da Garça

Sonhos, desejos, opiniões, instantes da vida diária...

29
Jan22

Dia de Reflexão

Charneca em flor

Em pouco mais de 1 ano, amanhã* é a 3a vez que os portugueses são chamados às urnas. Desta feita são as legislativas antecipadas onde se escolhe a composição do parlamento e consequentemente o próximo governo do país. A lei eleitoral proibe que na véspera do dia eleitoral se faça campanha eleitoral. Não sei se esta norma se aplica à blogosfera mas também não pretendo fazer campanha eleitoral. Até porque a única certeza que tenho é que vou votar mas ainda não decidi em quem.

Já muito se tem falado na inutilidade deste dia de reflexão, actualmente. A internet permite-nos ver os blocos noticiosos sobre a campanha eleitoral, ler os jornais, consultar os sites dos mais variados partidos por isso este dia de "suposto" silêncio partidário não faz grande sentido.

O que eu pretendo com este post é apelar ao voto. Seja qual fôr o vosso sentido de voto não deixem de o exercer. Esta é a única ocasião em que os eleitores têm o poder. A partir do momento em que os nossos representantes são eleitos já nada podemos fazer. Amanhã é o momento de contribuirmos para o rumo que queremos para o nosso país e para as nossas vidas. Não deixem que uma pequena parte escolha o caminho que todos teremos que percorrer. Mesmo em tempos de pandemia, é possível votar em segurança. Nem que tenhamos que pôr 2 máscaras .

Votem, votem, votem.

 

*Amanhã, excepto para quem foi precavido e já votou antecipadamente.

31
Dez21

No ano que agora acaba

Charneca em flor

O meu ano de 2021 fica marcado pelo meu isolamento, logo no mês de Janeiro, devido a ter tido Covid-19. Nunca pensei que me acontecesse a mim e não faço ideia de como tenha sido contaminada. Felizmente, tive sintomas leves. O sintoma mais forte foi a tosse mas só nos primeiros dias. Senti-me culpa por ter contaminado o meu companheiro e fiquei muito assustada porque estive doente quando nos entravam, pela casa dentro, imagens de filas de ambulâncias à porta dos hospitais. Tive medo que um de nós piorasse e não conseguisse acesso ao hospital.

Em termos laborais, vivi momentos de stress elevado, principalmente nas últimas semanas, quer devido à elevada procura de testes Covid-19 quer por alguns problemas de saúde na equipa que provocaram algumas ausências. Mas, no fim, lá conseguimos levar o barco a bom porto.

O ano foi fértil em leituras, li 38 livros ao longo do ano, e também fui participando nalguns desafios de escrita criativa como podem ver aqui ao lado. A esse respeito, participei na aventura organizada pelo José da Xã e da Imsilva com o objectivo de editar uma compilação dos contos de Natal publicados anteriormente nos blogues.

IMG_20211226_201113_617.webp

Em 2021 fiz inúmeras caminhadas embora só ao fim-de-semana ou nalgum feriado. Felizmente, tenho oportunidade de caminhar pelo campo. Mesmo que seja em locais onde já tenha ido, a natureza é sempre nova.

20210207_123050.jpg

IMG_20210401_150138.jpg

IMG_20210228_151434.jpg

 

A paixão pelas plantas manteve-se e fui aumentando o número de plantas que tenho. Infelizmente, nem todas sobrevivem mas quando as vejo crescer, fico muito feliz.

Não fiz nenhum viagem mas tive oportunidade, quer no Verão quer agora nesta última semana do ano, de passar alguns dias numa acolhedora casinha situada numa pequena aldeia perdida no Algarve profundo. É um local muito sossegado onde só se ouvem passarinhos, galinhas, ovelhas a balir e um ou outro cão a ladrar. Por aqui as caminhadas também são uma constante e descobrem-se recantos bem bonitos.

IMG_20210822_214001.jpg

IMG_20210819_093451.jpg

IMG_20210817_143826.jpg

IMG_20210817_074815.jpg

IMG_20211229_162912.jpg

IMG_20211227_084329.jpg

Em 2021, tive a oportunidade de assistir ao casamento de uma jovem que me é muito querida. A cerimónia e a festa decorreu num convento em Évora, o Convento do Espinheiro, no qual funciona um hotel, um espaço muito bonito. Foi um fim-de-semana muito bem passado

IMG_20210724_150457.jpg

IMG_20210725_103502.jpg

IMG_20210725_101425.jpg

Em suma, 2021 não foi um ano de acontecimentos grandiosos mas foi um ano de grandes momentos. 2022 não precisa de ser melhor ao ano que acaba. Se fôr igual a 2021, já me dou por muito feliz.

Bom Ano Novo para todos.

 

 

 

 

23
Jan21

Dia de Reflexão

Charneca em flor

eleicoes_legislativas_2019_1.jpg

Hoje é dia de reflexão. Já não se compreende a existência deste dia no qual não se pode fazer campanha eleitoral. Em primeiro lugar porque já muitas pessoas votaram antecipadamente no passado domingo e nessa altura a campanha não parou. Em segundo lugar porque qualquer pessoa pode ver as iniciativas dos candidatos vendo as notícias na internet ou utilizando os diapositivos da televisão que permitem ver os blocos noticiosos de ontem. Actualmente, dia de reflexão não tem qualquer lógica.

Neste ano complexo, este dia podia ter sido aproveitado para desdobrar o dia das eleições e evitar os ajuntamentos que se viram no passado domingo.

Entre a classe política e os comentadores de serviço há um medo generalizado de uma acentuada abstenção também ela provocada pelo medo que as pessoas têm da Covid-19.

Aliás, existem vários factores que já não se conseguem alterar que já provocar uma abstenção voluntária. O voto dos emigrantes não foi devidamente acautelado porque nestas eleições não é permitido o voto por correspondência. Os emigrantes que quisessem votar teriam que se deslocar aos consulados que podem ser muito distantes do seu domicílio. Para além disso, temos as pessoas que estão em isolamento por estarem contaminadas com Covid-19 ou por isolamento profiláctico por contacto próximo com casos positivos. As autarquias foram recolher os votos a casa das pessoas mas só se podiam inscrever aqueles cujo isolamento tivesse sido decretado até dia 14 de Janeiro. Tendo em conta a progressão exponencial de casos há milhares de pessoas impedidas de votar. Deveria ter sido prevista esta situação e ter-se continuado a recolher esses votos adiando a divulgação dos resultados, por exemplo. Ou avançar definitivamente com o voto electrónico que permitisse que qualquer pessoa votasse a partir de casa, por exemplo.

Por tudo isto, quem tem a possibilidade de ir votar tem uma responsabilidade acrescida, a meu ver. Se não estás impedido de ir votar, amanhã põe a tua máscara, o teu desinfectante, tua caneta, mantém a distância e vai. Ir votar é tão perigoso como ir ao supermercado mas é igualmente essencial. Não deixes que outros escolham por ti.

04
Jan20

Sobre os desejos para o novo ano

Charneca em flor

Na época festiva que está quase a acabar é habitual que as pessoas, anónimas ou não, expressem desejos para o novo ano. Cheguei à conclusão que isso não faz muito sentido. Vamos lá a ver, muda realmente alguma coisa quando termina um ano e começa outro? O mundo global ou o nosso pequeno mundo pessoal fica assim tão diferente? Pois, não fica não. Por isso parem lá de desejar coisas como amor, saúde para todos ou paz no mundo. Claramente, estes desejos não estão a resultar como se pode concluir por este acontecimento que está a marcar o início de 2020. 

xScreenshot_1.jpg.pagespeed.ic.-5OZ_cpF7e.jpg

Qassem Soleimani

Obviamente que o tipo não era um santo mas talvez tivesse sido melhor que os  EUA agissem de uma maneira mais inteligente. Talvez se evitasse a escalada de violência que se adivinha. É o que dar o poder a um personagem como Donald Trump.

 

 

12
Mai17

A minha relação com Fátima

Charneca em flor

Nos últimos dias é impossível fugir do tema "Centenário das Aparições de Fátima". Nunca estive em Fátima em dias de grandes peregrinações nem nunca fui até lá a pé. No entanto, o Santuário de Fátima teve um papel fundamental na minha vida. No início dos anos 90, fui convidada a participar num encontro nacional de jovens em Fátima. A dor pela perda do meu pai estava ainda muito fresca e eu era uma jovem revoltada. Nesses dias, em Fátima e rodeada de jovens da minha idade, descobri a existência de Deus e essa descoberta transformou a minha vida. Muitos dos momentos felizes (e também alguns momentos tristes) que vivi durante cerca de 17 anos derivaram das emoções que senti nesses instantes. A partir daí aderi à fé católica juntando-me ao Grupo de Jovens da minha paróquia e começando a participar na Eucaristia. Foi assim que comecei a aceitar a morte do meu pai e foram essas vivências que me tornaram na pessoa que sou hoje.

Depois desse encontro nacional, voltei várias vezes a Fátima quer no âmbito dos encontros de jovens quer, mais velha, em encontros de grupos bíblicos. Depois do deslumbramento inicial com o Santuário, comecei a sentir-me incomodada com alguns pormenores. O comércio, o exagero das velas que se lançam para o tocheiro, as multidões que se juntam por vezes, tudo isso faz demasiado ruído e interfere no ambiente de recolhimento que se deveria viver naquele lugar. A memória mais grata que tenho é de uma vez em que, com algumas amigas, fui à noite à Capelinha. Penso que foi na Primavera e tenho a certeza que estava frio mas foi quando me senti mais próxima de Deus e de Maria.

santuario.jpg

Nunca poderei ter a certeza científica de que Deus existe, de que Maria existe e que apareceu a três crianças na Cova da Iria. Só posso dizer que, para mim, aquele lugar é especial e que já senti a presença de Deus na minha vida. E ainda sinto mesmo depois de me ter afastado da Igreja.

03
Abr17

Hello, April

Charneca em flor

14494458935_4fae1722cc_b.jpg

Não costumo dar as boas-vindas ao mês que começa. Até porque o mês de Abril já começou há 2 dias. No entanto este fim-de-semana estive a pensar e percebi que alguns dos acontecimentos detetminantes para a minha vida aconteceram no mês de Abril.

Para começar, o mês de Abril faz-me sempre sentir mais velha. Assim que se começa a falar no aniversário da Revolução dos Cravos começo logo a sentir que já tenho mais um ano. É o que dá ter nascido no ano em que terminou a ditadura. Foi também num mês de Abril, no longinquo ano de 1993, que participei num retiro religioso de um movimento católico para jovens. Nesses 3 dias encontrei-me com Deus, comigo e com os outros. Esse encontro foi determinante para a pessoa que sou hoje. Ajudou-me a aceitar a partida do meu pai e desabrochei como pessoa. 

Em 2007, foi a 24 de Abril, na véspera do Dia da Liberdade, que assinei o divórcio. A partir desse dia consolidou-se a minha decisão de cortar definitivamente com uma relação doentia. Mais uma vez aprendi a encontrar-me comigo mesma e descobri que era possível ser feliz apesar das adversidades.

No mesmo mês, 1 ano depois, conheci o A. e estamos juntos até hoje. Com o A. descobri o mundo. 

Por tudo isto, e também por tudo aquilo que guardo para mim, Abril tem sido um bom mês para mim. Assim seja também este ano. Welcome, April.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Links

Vale a pena espreitar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D

Blogs de Portugal

Em destaque no SAPO Blogs
pub