Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Voo da Garça

Sonhos, desejos, opiniões, instantes da vida diária...

O Voo da Garça

Sonhos, desejos, opiniões, instantes da vida diária...

27
Mar20

A perspectiva e o medo mudam tudo

Charneca em flor

O mundo está mesmo virado do avesso. Há bem pouco tempo, reclamava-se que as pessoas, principalmente as crianças e os jovens, tinham uma vida sedentária e passavam o tempo na internet nas mais variadíssimas redes sociais. Em certos países, as relações humanas já  eram predominantemente à distância de um clique em vez de serem à distância de um abraço. Agora até se estimula que se sirvam das mesmas redes sociais diabolizadas para manterem o contacto com os outros, uma vez que o contacto físico de proximidade está contra indicado. Não dá para compreender.

05
Fev20

Empatia, sentimento em vias de extinção

Charneca em flor

Tenho-me apercebido que há um sentimento que tem desaparecido da nossa sociedade e já não é de agora. Refiro-me à empatia.

unnamed.jpg

Seja a propósito dos refugiados, do repatriamento dos portugueses que estavam em Wuhan, dos negros, dos brasileiros enfim a propósito de todos aqueles que são diferentes ou que vêm de fora, nota-se que as pessoas têm uma grande dificuldade em se colocarem "nos sapatos dos outros". Isto acontece entre aqueles com quem interajo todos os dias ou nos infâmes comentários que se lêem no Facebook ou no Twitter.

Muitas vezes a falta de empatia chega a tocar outro sentimento, o ódio. Esses comentários partem não de pessoas com pouca instrução mas de indivíduos que têm obrigação de ter algum conhecimento. Fico especialmente incomodada quando essas atitudes, sejam ao vivo ou virtuais, são tomadas por pessoas que conheço há muitos anos. Não sei se sempre pensaram assim ou se as pessoas foram (des)evoluindo com o tempo.

Há dias que passo pelo Facebook e até fico indisposta. Dá-me vontade de deixar de lá ir ou então de fazer uma limpeza sumária aos "amigos" xenófobos ou racistas.

Quando a conversa ocorre ao vivo é mais complicado. Às vezes não consigo evitar de argumentar em sentido contrário mas depois penso que não vale a pena o esforço.

Será que me estou a dar com as pessoas erradas?

07
Jun19

Oração da serenidade

Charneca em flor

Ontem lembrei desta oração 

Concedei-nos Senhor, a Serenidade necessária
Para aceitar as coisas que não podemos modificar
Coragem para modificar aquelas que podemos
E Sabedoria para reconhecer as diferenças.

Habitualmente é associada a grupos de inter-ajuda como, por exemplo, os  Alcoólicos Anónimos ou os Narcóticos Anónimos. Na verdade, pode ser aplicada à vida do dia-a-dia de todos nós. Lembrei-me dela quando se falava de alguns problemas que 2 colegas têm enfrentado nos últimos tempos. Esta oração parece-me um bom lema de vida, não concordam?

22
Mai19

Para tudo, é preciso tempo e dedicação

Charneca em flor

cabelo-mascara-capilar-hidratacao-caseira-garimpo-

Ontem fui a uma formação sobre cuidados capilares. O cabelo é muito importante para a nossa auto-estima. O estado do nosso cabelo, assim como da nossa pele, dizem muito sobre a nossa saúde, o nosso estado emocional e o nosso estado nutricional. Para além, de cuidarmos da nossa saúde e das nossas emoções, podemos e devemos cuidar e alimentar o nosso cabelo. Em vez disso fazemos-lhe imensas maldades que não compensamos com cuidados adequados. Ontem aprendi imenso sobre uma das marcas de cuidados capilares que temos disponível na farmácia, a René Furterer. Imagino que o que acontece comigo, também acontece convosco. O tratamento capilar que faço é lavar, colocar um condicionador ou uma máscara, e  em dias bons, um produto de acabamento para as pontas secas. Mas aplico estes produtos sempre a correr. Com a velocidade que os aplico, não sei se fazem grande efeito. Na verdade, para cuidar bem do cabelo, assim como da pele, é preciso tempo e atenção. Hoje em dia, queremos efeitos imediatos em todos os aspectos da nossa vida. Cuidar do cabelo é como cuidar de plantas, exige tempo, dedicação e amor.

E, se extrapolarmos para a vida, tempo, dedicação e amor fazem falta para cuidarmos de nós mas também para cuidarmos dos outros. O tempo é um dos bens mais preciosos e cada vez mais raros.

01
Mar19

Tão verdade que parece mentira

Charneca em flor

Às vezes parece que as séries, os filmes, os livros trazem-nos histórias tão inverossímeis que pensamos: "Isto nunca podia acontecer na vida real". Mas depois descobrimos situações, acompanhamos amigos com problemas complexos mas reais que pensamos: "Isto é tão inverossímil que se pode ser ficção". Ficamos sem saber se é a ficção que imita a realidade ou se é a realidade que imita a ficção. 

31
Mai18

Ainda há heróis

Charneca em flor

Neste mundo que corre a uma velocidade voraz já chego um pouco atrasada com esta notícia 

Obviamente, que já não vale a pena descrever o que aconteceu até porque já toda a gente deve conhecer a história deste herói, deste homem-aranha da vida real e de como este acto mudou a sua vida. Este jovem do Mali passou de emigrante ilegal em França para convidado para o Eliseu, condecorado, legalizado e até já tem emprego garantido. O que eu gostava de reflectir é sobre o quanto é refrescante ver uma notícia destas na nossa comunicação social. Contrasta com o registo habitual das desgraças, da corrupção na política e no futebol ou da violência. Ou do aumento dos combustíveis e dos disparates do Trump. Quantas histórias destas nos passarão ao lado porque não têm espaço noticioso? Afinal, nesta sociedade egoísta em que vivemos, ainda há pessoas generosas e corajosas. Será coincidência virem de outra zona do mundo que não do chamado mundo mundo ocidental?!

 

05
Ago17

Zoodles no supermercado

Charneca em flor

Gosto muito de courgete. Faz parte na minha alimentação quotidiana. Uma das minhas maneiras preferidas de a consumir é na forma de zoodles, uma espécie de esparguete de courgete. Para fazer isso é preciso um espirilizador como este

20170330_071724.jpg

É muito fácil e rápido de usar. Quer dizer, faz doer a mão mas não é nada que não se possa suportar. Por isso qual não é a minha surpresa quando descobri que havia, no supermercado, embalagens com zoodles já espirilizado. Também há uns pacotes com abóbora espirilizada. Oh, mi ha gente, é tudo pela lei do menor esforço. Não deve ter gracinha nenhuma. Os zoodles são bons e crocantes acabados de fazer. Agora embalados?! Também há uma versão de esparguete de abóbora. Esses nunca fiz mas acredito fazer com o tal instrumento. 

Caminhamos mesmo para uma sociedade onde o que impera é a lei do menor esforço?!

28
Jul17

Quando estou de serviço dá-me para isto

Charneca em flor

As noites de serviço são sempre uma animação. Desde os jovens que tocaram à porta para: "é só para fazer uma pergunta, dona" à senhora que fica muito admirada porque eu apareço depois de ela tocar à campainha. O que será que ela esperava? Que ninguém aparecesse ou que fosse atendida por um robot? Esta senhora passou todo atendimento, que é feito por um postigo de atendimento, com um ar alucinado de quem não está a acreditar. O que será que as pessoas pensam? Que, estando ima pessoa sozinha, iria abrir a porta a meio da noite sem qualquer segurança, ficando à mercê de todos os tipos de crime? Mas o que encaganitou mesmo foi uma situação que também me faz pensar durante o atendimento normal diurno. Durante o serviço dá-me para a reflexão, o que se há-de fazer? Passo a explicar:

O pai vem aviar uma receita para a criança ou pedir um aconselhamento. A farmacêutica faz uma pergunta simples como: "prefere medicamento genérico ou marca?" Ou "e qual é a marca do leite que o bebé bebe?". Uma grande parte dos homens não sabe responder a esta pergunta ou tomar uma simples decisão sem perguntar à mãe da criança. Agora a minha dúvida existencial é: isto acomtece porque vivemos numa sociedade matriarcal e a mãe é que manda? Ou ainda há muitos pais que se demitem do seu papel e são as mães que cuidam dos filhos na totalidade com pouco ou nenhum apoio da parte dos pais?

14
Jan17

Flor da Charneca

Charneca em flor

DSC07424.JPG

Uma singela flor da charneca. As primeiras que aparecem este ano apesar deste frio cortante. Mas o magnífico sol do inverno português deu-lhe vida. E o gesto do A. aqueceu-me a mim. Pousei no parapeito da pequena varanda acolhedora e quente que raramente se utiliza. Recebi na pele este sol e soube mesmo bem.

De pequenos gestos se constroi a vida.

03
Out16

A esquizofrenia do Outono

Charneca em flor

images.jpeg

 

Esta altura do ano é sempre curiosa. Já não é bem Verão, embora esteja calor, mas ainda não é Inverno. O calendário diz que estamos no Outono. Já cheira a castanhas assadas, até já as vi mas, ao mesmo tempo, ainda apetece um belo gelado. Ontem à tarde dei um passeio à beira-mar e, entre o fumo que os vendedores de castanhas já faziam, muita gente saboreava gelados. Com a roupa e os sapatos é a mesma coisa. Vê-se de tudo, calções, alças, sandálias por um lado e começam a aparecer camisas, casacos e até botas (juro que já vi). Há uma certa esquizofrenia na maneira de vestir. Sempre que estamos nestas estações intermédias é isto. 

Eu, para ser franca, já estou farta do calor. Anseio pelas temperaturas amenas. Estes dias de elevada temperatura e baixa humidade, com o aparelho de ar condicionado sempre a bombar, desencadearam-me uma terrível alergia. Este fim-de-semana já estive melhor, felizmente. São Pedro, para mim pode mandar temperaturas amenas, se faz favor.

Mais sobre mim

foto do autor

Links

Vale a pena espreitar

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Blogs de Portugal