Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

O Voo da Garça

Sonhos, desejos, opiniões, instantes da vida diária...

O Voo da Garça

Sonhos, desejos, opiniões, instantes da vida diária...

15
Jul18

Foto da semana #28

Charneca em flor

foto da semana.jpg

 

A foto mais apreciada no Instagram do blogue foi mais uma imagem do fim-de-semana passado. A comemoração dos meus 44 anos foi o mote para "ir para fora cá dentro". Tive a sorte de encontrar um pequeno hotel encantador junto ao Douro. Acedia-se a esta varanda a partir da sala do pequeno-almoço e permitia abarcar esta belíssima paisagem oferecida pelo Rio Douro.

20
Mai18

Foto da semana #20

Charneca em flor

IMG_20180519_183533.jpg

 

A imagem dos nossos passaportes foi a mais votada da semana. Os pobres coitados andavam meio perdidos e encontrei-os ontem. Foram feitos em 2009 para a viagem aos States. 2009 foi o primeiro ano da Administração Obama. Depois serviram para a viagem à Croácia passando por Montenegro e Eslovénia e para ir a Marrocos. Têm muitas folhas vazias mas já estão fora da validade. Esta semana temos que ir pedir novos e, possivelmente, ficaremos sem eles. Ficam as recordações de bons momentos mas novos passaportes significa que nos preparamos para novas aventuras.

18
Abr18

Pelos caminhos de Monet

Charneca em flor

De entre os temas sobre os quais gosto de escrever, as viagens aparecem nos lugares cimeiros. Aqui já partilhei o primeiro dia da minha mais recente aventura. Quando comecei a organizar o percurso da viagem a Paris, Normandia e Bretanha deparei-me com um lugar onde não podia deixar de ir. A partir daí, a Fundação Claude Monet passou a ser a primeira etapa depois de Paris.

DSC08984.JPG

 

Sou absolutamente apaixonada pela obra de Claude Monet por isso foi muito especial para mim visitar o seu espaço .

A Fundação situa-se em Giverny e está alojada na casa onde o mestre do impressionismo viveu durante 43 anos. É possível visitar a Casa mas também o seu Jardim das Flores (Monet era um apaixonado por jardinagem) bem como o Jardim de Água onde é possível ver a ponte japonesa e o lago dos nenúfares. Esta visita não só correspondeu às minhas expectativas como as superou. No Jardim é possível ver uma grande variedade de flores e perceber algumas das fontes de inspiração de Claude Monet para algumas das suas obras mais conhecidas. Só possível fazer esta visita de 23 de Março a 1 de Novembro o que faz sentido. Nesses meses é possível ver o Jardim a florescer. Infelizmente não o vimos em todo o seu esplendor já que tinha reaberto há poucos dias.

 

 

Depois desta visita, ainda houve oportunidade de passarmos por mais 2 cidades que inspiraram Monet, Rouen e Etretat. Em Rouen, Monet retratou a Catedral em alturas diferentes do dia e em estações do ano diferentes. A série dedicada a esta Catedral é  constituída por 31 pinturas como esta, por exemplo

die_kathedrale.jpg

 

 E agora, a Catedral no início de Abril

DSC09020.JPG

 

Etretat é uma pequena cidade turística na costa da Normandia, famosa pelas suas curiosas falésias. Chegámos lá ao fim da tarde e achei encantadora. Também inspirou vários artistas, entre os quais Claude Monet que costumava lá passar algumas temporadas tendo retratado as suas belas falésias

DSC09041.JPG

 

 

DSC09040.JPG

 

 

A viagem segue dentro de momentos .

 

 

 

10
Abr18

Dei um pulinho a Paris

Charneca em flor

Na passada semana tive a oportunidade de fazer mais uma viagem. Acho que já posso dizer que viajar se tornou um vício bom. É verdade que se gasta dinheiro como nos outros vícios mas fico imensamente mais rica. O país de destino foi a França. Adoro a França. Não sei qual é o país que ocupa o maior espaço no meu coração, se a França ou a Itália. Ir a França dá-me oportunidade de treinar o meu francês que é uma língua que aprecio. Mas adiante. Estive algumas horas em Paris mas esse não era o principal destino. Estive em alguns dos locais mais emblemáticos da cidade. Infelizmente, não havia tempo de ir ao Museu do Louvre ou ao Museu d'Orsay mas outras oportunidades haverão. O A. já lá tinha estado e serviu de guia turístico.

DSC08909.JPG

 

A meteorologia não foi muito favorável. O dia cinzento tirou algum brilho à cidade. Gostei de passear em Paris. Vou destacar como o  melhor momento, subir até ao Sacré Coeur. Difícil mas compensadora. A vista que se vê lá de cima é tremenda. Também gostei muito de Montmartre

 

08
Abr18

Foto da Semana #14

Charneca em flor

IMG_20180405_115445.jpg

 

Esta imagem foi a foto mais votada no Instagram do blogue. Foi captada na manhã da passada 5a feira. Estava em Saint Malo, uma cidade na Costa Esmeralda, Côte d’Émeraude, na Bretanha. O centro histórico desta cidade é rodeada por muralhas de granito e foi uma fortaleza Normandia  para os corsários. Os corsários eram piratas ao serviço do Rei de França.

  

05
Jan18

Julieta

Charneca em flor

Não vos queria maçar muito com histórias da minha viagem mas há uma que não posso deixar de partilhar. A nossa road trip abrangeu 3 tipos de paisagem: cidade, montanha coberta de neve e lagos. Embora tivessemos um plano mais ou menos alinhavado há sempre situações que saem fora do plano. Ir a Verona foi uma surpresa do A. que já conhecia e fez questão de me levar lá já que estavámos perto. 

DSC08779.JPG

Coliseu de Verona, 30 de Dezembro de 2017

 

Era sábado à tarde de um fim-de-semana prolongado (o dia 1 também é feriado em Itália) mas não estavamos preparados para a multidão que encontrámos. Nunca mais me queixo dos turistas que andam por Lisboa. E essa multidão dirigia-se para um lugar, apenas. O destino era a Casa da Julieta (reza a história que os trágicos amores entre Romeu e Julieta se passaram em Verona) em cujo pátio existe uma estátua da jovem. O A. insistiu que eu tinha que ir tocar na estátua e tirar uma foto porque era tradição. Parece que dá sorte ao amor e ninguém quer correr o risco de não ter sorte ao amor. O cenário é este

DSC08797.JPG

Casa da Julieta, Verona, 30 de Dezembro de 2017

Para além da apalpadela também há quem deixe mensagens como se pode ver na parede ao lado da estátua.

O meu lado romântico até acha graça mas o meu lado pragmático acha isto uma palhaçada. Primeiro que tudo, ninguém sabe se a Julieta existiu mesmo. Depois, a ter existido, pode nem ter morado naquela casa. E, por fim, aquelas mensagens são efémeras, só duram até aos próximos pingos de chuva já que estão ao ar livre.

Seja como for, o lado romântico prevaleceu porque eu também tirei a foto da praxe (não, eu não sou a menina da foto) mas fiquei com pena da pobre Julieta. Não basta a tragédia de um amor proibido e de ter morrido por amor, agora é apalpada a toda a hora por todo e qualquer turista que passe por Verona. Há pessoas com muito pouca sorte.

 

02
Jan18

A "minha" Itália

Charneca em flor

Os últimos dias de 2017 levaram numa road trip através de Itália e Suiça. Foi uma viagem encantadora, gelada, assustadora e deliciosa.

Encantadora porque vi paisagens lindíssimas e exemplos maravilhosos de arquitectura. Esta época ainda natalícia proporciona imagens inesquecíveis nas ruas das cidades com as luzes cintilantes e as montras ainda mais fantásticas do que nas outras alturas do ano.

Gelada porque apanhei muitas horas de temperaturas negativas chegando a sentir temperaturas de - 17°C... a meio do dia.

Assustadora porque a neve é uma coisa muito bonita quando se vê nos telhados das casas, nos ramos das árvores ou nas encostas. Na estrada é mais assustadora do que bela.

Deliciosa porque me fartei de comer pizzas e cornettis.

Esta viagem consolidou o meu enamoramento com a Itália. Gosto muito de Portugal e de ser portuguesa mas, se um dia tivesse que escolher outro país para viver, a Itália estaria no primeiro lugar da lista.

Ora vejam lá se não tenho razão:

DSC08455.JPG

Pormenor da porta da Duomo di Milano

DSC08566.JPG

Passear enquanto neva, jardim junto ao Lago de Lugano, Suiça

DSC08612.JPG

Lago Como

DSC08668.JPG

Valdidentro

DSC08702.JPG

Lago gelado, St. Moritz 

 

DSC08859.JPG

Interior da Basilica di Santa Maria Maggiore, Bérgamo

 

DSC08625.JPG

Pormenor de decoração de montra de uma panetteria, Como

 

 

 

 

 

01
Set17

A leste, o paraíso (III)

Charneca em flor

Hoje volto ao trabalho. E há lá coisa melhor no primeiro dia de trabalho do que recordar as férias?

Se bem se lembram ficámos a caminho de Belgrado. A viagem foi muito longa mas assim que chegámos ao hotel fomos logo conhecer a cidade. O hotel ficava na margem do Danúbio. Belgrado é uma das 10 cidades europeias atravessadas pelo Danúbio. Apesar de ser sábado, a cidade estava muito animada. No passeio junto ao rio havia muita gente a passear e até estava a decorrer um festival de música. Nesse fim de tarde, andámos cerca de 13 km. Estava muito calor. O centro da cidade também estava muito animado, com muita gente na rua e lojas abertas. Belgrado é, verdadeiramente, cosmopolita. Também reparámos que havia uma ilha, é chamada a Ilha da Guerra, onde há uma praia. A ligação do passeio ribeirinho à ilha é feita através de uma ponte militar.

CollageMaker_20170831_225410013.jpg

 

No dia seguinte, de manhã, voltámos ao centro e fomos ver a Fortaleza de Belgrado. A vista da Fortaleza era espectacular. Também tinhamos intenção de ir à Lido Beach (a praia da ilha) mas o tempo tinha mudado muito. Uma das coisas que me incomodou na Fortaleza foi ver armamento exposto. Afinal, a guerra ainda está muito presente na memória de todos.

CollageMaker_20170831_230235927.jpg

Depois seguimos para a Bósnia para conhecer Sarajevo. Entre a Sérvia e a Bósnia também existe um rio que faz fronteira, o rio Drina. Também é muito bonito e oferece bonitas paisagens. A viagem até Sarajevo foi um bocado difícil porque apanhámos um acidente e o tempo não estava nada agradável. Chovia e fazia nevoeiro. Bósnia é um país muito montanhoso. Assim Sarajevo recebeu-nos com chuva. Senti o coração apertado só de pensar o que é que aquela cidade e os seus habitantes sofreram com a guerra. O nosso hotel (era mais uma pequena residencial) ficaca mesmo junto à Viječnica, actual Biblioteca Pública. Este belíssimo edifício remonta ao Império Austro-Húngaro e foi destruída durante o cerco à cidade durante a guerra com a Sérvia. Nessa ocasião foram queimados cerca de 2 milhões de referências (livros, jornais...). Uma das coisas que achei piada na tarde chuvosa em que chegámos foi ver os bósnios a jogar xadrez na rua mesmo com chuva. E se eles estavam divertidos

CollageMaker_20170831_232040400.jpg

A mistura de culturas é uma das características de Sarajevo. Na zona histórica, em poucos metros, encontram-se lugares de culto das principais religiões do mundo. Há inúmeras mesquitas, uma catedral ortodoxa, uma catedral católica e parece que também há uma sinagoga mas essa não a vi. Incomodou-me ver tantas mulheres de burqa. Acho que vi mais percentagem de muçulmanas com burqa em Sarajevo do que em Marrocos.

CollageMaker_20170831_233631113.jpg

 

A Sérvia e a Bósnia foram 2 países que me encantaram e que vão continuar a ter lugar no meu coração. 

O penúltimo dia foi o mais especial porque foi o dia de aniversário do A. e foi o dia mais feliz desta viagem. Na próxima vez, conto porquê!

 

 

 

 

28
Ago17

A leste, o paraíso (II)

Charneca em flor

Hoje vou partilhar convosco algumas impressões menos positivas da minha viagem de Verão. Foram 2 pormenores que tornaram aquelas paragens menos paradisíacas.

Uma das coisas em que reparei, e que achei problemático, foi o excesso de lixo. A mim parece que há 2 problemas; a recolha do lixo não me parece muito eficiente porque muitas vezes o lixo até estava junto aos caixotes mas estes estavam muito cheios, para além disso também me pareceu que as pessoas também não tinham muito cuidado. Por exemplo, na noite em que estivemos em Belgrado fomos ao jardim junto à fortaleza. Havia por lá muita gente sentada nos vários bancos virados para a zona nova. Na manhã seguinte, voltámos lá e ficámos admiramos com a quantidade de lixo no chão. Nessa zona, por acaso, vimos 2 trabalhadores a recolher o lixo do chão.

Outro problema é a condução. E eu a pensar que o chico-espertismo era um exclusivo dos portugueses. Nem imaginam a quantidade de chico-espertos que havia por lá. Faziam ultrapassagens impossíveis. Não queriam saber de traços contínuos, sinais de proibição ou separadores em raia. Para frente é que é o caminho. Também havia controlo de velocidade por radar e via-se polícia nas estradas mas também não me pareceu que dessem muita importância. Só o A. é que tinha cuidado com a velocidade que não nos apetece que o orçamento da viagem derrape com multas de trânsito. Só fico admirada por não haver mais acidentes. Vimos 2 ou 3. Um deles até nos atrasou o percurso em quase 1 hora.

Devem ser problemas culturais.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Desafio

Desafio

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Blogs de Portugal